Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth

Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth

Smartphones, câmeras, impressoras, sons automotivos e aparelhos de televisão são apenas alguns dos exemplos de equipamentos que podem ser conectados à um sistema para comunicação sem-fio (wireless) conhecido como Bluetooth.

No entanto, o ato (aparentemente) inofensivo de deixar o Bluetooth ligado nestes equipamentos, principalmente no seu celular, pode causar problemas graves.

O problema está em um malware (programa malicioso) conhecido por BlueBorne, que devido à sua característica de “expansão pelo ar” pode permitir que hackers invadam não apenas smartphones, mas também outros equipamentos, como aparelhos de TV ou notebooks.

Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth.

Este problema foi detectado e apontado por pesquisadores da empresa de segurança Armis. Segundo o levantamento, a estimativa é de que esta falha poderia afetar mais de 5,3 bilhões de dispositivos no mundo. A empresa também complementa que além do BlueBorne, existem mais riscos. Abaixo, listamos outras três eventuais ameaças:

– Bluebugging: É considerado um dos mais graves. Este tipo de ataque aproveita os “bugs” na identificação do dispositivo para conseguir controlá-lo. O risco que se corre, vai desde o roubo de dados à propagação de vírus. Infelizmente, o BlueBorne não solicita nenhuma operação do dono do aparelho para agir, como por exemplo clicar em algum link.

– Bluejacking: Não é tão nocivo quanto ataques por meio de malwares. Neste caso, hackers acessam agendas, mensagens e dados, mas principalmente utilizam um protocolo do sistema para enviar mensagens à vítima por intermédio de um contato, uma nota ou um cartão eletrônico (VCard).

– Bluesnarfing: Está relacionado com o roubo de informações e é mais perigoso que o Bluejacking. No entanto, neste caso é mais difícil o invasor ter sucesso, pois o hacker precisaria estar a menos de 10 metros do equipamento hackeado.

Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth
Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth

Para se proteger contra estas invasões, existem algumas recomendações que são eficientes. A primeira delas é ter a consciência de que o mais seguro é manter o Bluetooth desligado quando ele não estiver sendo utilizado. Você também pode configurar o seu aparelho para o “modo oculto”, deixando-o invisível a hackers assim como dar preferências a equipamentos mais modernos que solicitam um código de confirmação quando alguém tenta se conectar ao seu dispositivo. Além disso, empresas como Google, Microsoft e Linux oferecem aos seus clientes programas que realizam correções em dispositivos com falhas, conhecidos como “patches”.

Para estar sempre antenado às novidades e dicas, entre em contato com o BONNJUR.

10 aplicativos para ter em seu celular, segundo a Apple

Se você tivesse que escolher 10 aplicativos para ter em seu celular, nada melhor do que seguir uma lista elaborada pela Apple, não é mesmo? As recomendações variam desde apps que permitem transferir dinheiro, a editores de fotos ou vídeos. Com os milhares de aplicativos disponíveis no mercado, a lista é de grande valia na hora de filtrar as inúmeras opções disponíveis em determinada categoria e assim, escolher o que mais se adequa às suas necessidades.

A maioria dos apps recomendados pertencem à categoria fotos e vídeos, responsáveis principalmente por edições. Se você estiver em busca de apps eficientes para melhorar suas fotos ou vídeos, entre os selecionados pela gigante da tecnologia estão o VSCO, Replay Video Editor, Camera +, MSQRS e BuzzFedd Video, que por sinal é um dos serviços de mídia digital que mais cresce no mundo.

10 aplicativos para ter em seu celular

Os demais apps representam uma categoria diferente e estão listados abaixo:

Dark Sky: Um passo além da previsão do tempo. Informa especificamente sobre temporais e nevascas, mas que para o Brasil, já não se adequa tão bem.

1Password: Segundo a Apple, é o melhor programa para gerir senhas e o mais apropriado para guardar suas informações pessoais a sete chaves, pois além de guardá-las, ele auxilia na criação de senhas mais fortes. Este app te permite proteger documentos e informações pessoais, como diferentes logins e senhas. Um fator de destaque é com relação aos navegadores: Não importa se você utiliza mais de um navegador em seu computador, o 1Password é capaz de registrar todos os códigos independente do browser que você escolher. Para complementar a segurança, as senhas (que são salvas pelo app) podem ser criptografadas.

Venmo: É o representante do âmbito financeiro. Indicado para quem deseja fazer transferências de dinheiro pelo smartphone. O app pertence ao gigante do ramo de pagamentos eletrônicos (PayPal) e conta com versões tanto para Android, quanto para IOS.

Runkeeper: Para os esportistas de plantão, a sugestão vai para o Runkeeper. O app é responsável por registrar corridas, cronometrar tempos, calcular ritmos e batimentos cardíacos e ainda estabelecer treinos e metas. Mais de 45 milhões de pessoas já aderiram ao app, que gratuitamente está disponível para Android e IOS.

Jet: Destacado não só pela Apple, mas também pelo Google como um dos melhores aplicativos que existem, o foco principal está em mudar a forma como compramos, e ser uma plataforma inteligente de compras. O Jet propõe transformar custos integrados em descontos, como por exemplo custos de envio. Assim como a maioria, o app é gratuito e está disponível tanto para Android quanto para IOS.

Todos estes 10 apps citados foram criados para facilitar a sua vida. Para conhecer mais uma maneira de tornar as coisas mais fáceis, entre em contato com o BONNJUR.

PDF SAM: A solução para limitar os bytes de um arquivo PDF

O “PDF Split and Merge” mais conhecido como PDF SAM, é uma ferramenta desenvolvida para separar e juntar arquivos PDF, possibilitando que um arquivo grande seja enviado digitalmente, com o aplicativo é possível separar um documento PDF em capítulos, páginas únicas ou da maneira que você queira dividi-lo. O caminho inverso também é possível: o programa possibilita juntar vários arquivos neste formato para compor um único documento.

PDF SAM

No entanto, o PDF SAM vai além. Ele possibilita ainda, por exemplo, alternar as páginas de dois documentos ou até mesmo rotacioná-las e reordená-las.

Para os profissionais que trabalham no âmbito judicial, a função exercida pela ferramenta PDF SAM é bastante útil devido ao fato de que o sistema de envio de petição eletrônica digital não aceita arquivos maiores que 2,0 MB. Portanto, por ser bastante comum estes arquivos excederem o limite permitido, a solução está em dividi-los em arquivos menores, para enfim, possibilitar o envio sem maiores problemas.

Portanto, para tal finalidade, o software mais recomendado pelas Superintendências Judiciais é o PDF Split and Merge, que significa basicamente: separar e juntar.

O uso é simples, basta seguir alguns passos listados abaixo:

Após efetuar o download e a posterior instalação do programa, inicia-se prontamente o procedimento da divisão através do PDF SAM. Abra o programa e no menu, clique na aba “Plugins” selecionando a opção “Dividir”. Em seguida, selecione a opção “adicionar” para carregar o arquivo que pretende dividir.

Após selecionar o arquivo, no menu “opções de divisão” escolha o subitem “dividir a este tamanho” e especifique ao lado o tamanho de cada uma das partes deste arquivo, chamado de “arquivos de saída”. O recomendado é que você indique um número aproximado de 1.8MB. Esta medida deve ser escrita sempre com um ponto dividindo os números 1 e 8 e ao final, o MB de “megabytes” também deve estar indicado separadamente do número final, no caso 8.

Em seguida, na “pasta de destino” selecione a opção “idêntica à origem” caso você deseje que os arquivos que foram divididos sejam salvos no mesmo local que o de origem. Caso contrário, há a opção “escolha uma pasta”.

Logo abaixo do campo “pasta de destino” está a opção “substituir ficheiro, se existente” que deve ser marcada. O item logo abaixo “comprimir ficheiro(s) de saída” deve ser desmarcado. Em “versão pdf do documento” opte por versão 1.4 (Acrobat 5).

Após estes ajustes, clique em “executar” e os arquivos serão divididos. As nomenclaturas dos arquivos que foram separados, também podem ser alteradas. Após este procedimento, os arquivos terão o tamanho correto para serem enviados através da web.

Para ficar por dentro de mais facilidades para a sua vida profissional, entre em contato com o BONNJUR e conheça nossas vantagens.

 

Ler livros em 15 minutos: É possível

As novas tecnologias podem se converter em aliadas de quem não tem tempo ou disposição de sobra para ler livros que costumam exigir uma atenção maior. Atualmente, é cada vez mais comum a leitura de livros na forma de e-books através de e-readers como kindle, ou livros em dispositivos digitais, como smartphones ou tablets. Porém, o tempo exigido para a leitura destes livros não difere em nada do bom e velho exemplar físico. Os novos apps listados abaixo, foram desenvolvidos para fazer com que seja possível assimilar a ideia principal de um livro em aproximadamente 15 minutos. Assim, além de conhecer a essência do conteúdo dos livros que te interessam, você pode economizar algumas horas e decidir se estenderá a leitura para a obra completa ou se aterá aos 15 minutos do livro em questão.

O primeiro app que iremos comentar foi criado em Berlim e atualmente conta com mais de 1 milhão de usuários em todo o mundo. O Blinkist oferece um catálogo com mais de 2.000 livros de quase 20 categorias diferentes que estão resumidos em breves leituras. A ideia é reunir as ideias-chave dos livros, resumi-los em um áudio de 15 minutos e assim, poupar algumas horas do seu tempo. O app está disponível tanto para Android quanto para IOS, porém com dois contrapontos: a versão grátis contém um número bastante limitado de opções e os áudios são disponibilizados apenas em inglês e alemão. Se optar pela versão paga, além de ter acesso ao acervo com mais de 2000 títulos, os audiolivros podem ser sincronizados off-line e você pode ouvir quando quiser.

Ler livros

Outra opção em um idioma relativamente mais acessível à nós brasileiros que o alemão, é o Lectoramas, disponível em espanhol. Com um pouco mais de 1 ano no mercado, o app atua da mesma maneira. Permite ler ou escutar as principais ideias de obras de não-ficção em um tempo estimado de 15 minutos. Para os diretores da empresa, o app está direcionado para todas as pessoas que buscam a ideia central do conteúdo de um livro ou que necessitem ler sobre um tema específico por questões profissionais, mas que não tem tempo para fazê-lo. O “Lectoramas” está também disponível para os dois sistemas operacionais: Android e IOS.

 

BONNJUR

O conteúdo dos livros disponíveis é amplo: varia desde historia de não ficção até economia, biografias, saúde ou autoajuda. Você pode começar experimentando um livro mais longo, que seguramente te roubaria horas e horas e então comprovar se a iniciativa destes aplicativos pode de fato facilitar a sua vida. Para continuar em busca de alternativas que otimizem o seu tempo, entre em contato com o BONNJUR e conheça nossas vantagens.

A verdade por trás de uma senha realmente forte

Esqueça tudo o que você sabe sobre compor senhas fortes. A fórmula que mistura números, letras maiúsculas, minúsculas e símbolos é mais fácil de ser descoberta por malwares ou hackers e menos eficaz do que uma senha composta apenas por frases, a chamada “passphrases”. Para fazer uma  senha realmente forte, conheça a frase-senha, um modelo mais eficaz contra ataques chamados de “brutal force”, quando uma senha é descoberta por um computador por intermédio de tentativas e erro. No entanto, criar uma frase secreta realmente segura é extremamente difícil, pois os seres humanos tendem a seguir padrões e são genuinamente incapazes de criar algo de fato aleatório.

Baseado nisso, em 1995, Arnold Reinhold desenvolveu um método de composição de senhas fortes chamado Diceware. Conhecido por gerar senhas realmente seguras através de frases secretas, o modelo não segue um padrão específico, o que dificulta (e muito) o trabalho de um hacker.

Para compor uma senha “inquebrável” como o método sugere, você precisará de alguns utensílios básicos, como: um dado, uma folha de papel, caneta ou lápis e a tabela de palavras estruturada pelo criador, que você pode baixar aqui. Tudo funciona de uma maneira muito simples: O primeiro passo é lançar o dado cinco vezes, sempre anotando os números obtidos. Assim que você obtiver uma sequência de cinco números, procure na tabela a palavra correspondente. Por exemplo, digamos que sua sequência seja 24454. Ao consultar a tabela, a palavra referente à esta sequência é: “envoy”. Portanto, esta é a primeira palavra da sua senha.

 

senha realmente forte

Reinhold, inventor do método, sugere que este procedimento seja repetido seis vezes, a fim de que se chegue a seis palavras. O método é tão seguro que se a sua senha possuir apenas uma palavra, as chances de alguém descobrir é uma em 7.776. Se forem duas palavras, as chances pulam para uma em 60.446.176, pois eleva-se 7.776 ao quadrado. Portanto, se tivermos 6 palavras como Reinhold sugere, a estatística é astronômica. Nem mesmo 25 milhões de anos, com um trilhão de tentativas sendo feitas a cada segundo, serão suficientes para revelar a sua senha. Ganhar na mega-sena é de longe muito mais fácil.

De uma maneira simples, é possível criar uma senha com status de segurança praticamente inquebrável. Se você deseja estar sempre por dentro de novidades em como otimizar o seu dia a dia profissional, fale com o BONNJUR.

criptografia do WhatsApp

Brecha no sistema de criptografia do WhatsApp pode expor a sua privacidade

Visando proteger as conversas e garantir a privacidade de seus usuários, os responsáveis pelo WhatsApp optaram pela implementação do sistema conhecido por “criptografia de ponta a ponta” que tecnicamente, protege todas as conversas no aplicativo. Mas será que existe uma brecha na criptografia do WhatsApp?

Rumores indicam que as coisas não estão funcionando tão bem assim. Recentemente, o jornal britânico “The Guardian” apontou uma falha neste sistema, descoberta pelo pesquisador de segurança da Universidade de Berkeley, na Califórnia, Tobias Boelter. O sistema adotado pelo WhatsApp funciona da seguinte maneira: Chaves únicas de segurança são geradas para cada usuário e conforme o nome sugere, o sistema (supostamente) protege todo o trajeto da comunicação entre emissores e receptores. Em outras palavras, é como uma chave que “tranca” a mensagem quando ela sai e “destranca” quando ela chega ao destinatário.

Porém, é aí que mora o problema. Imaginemos que o receptor fique off-line depois da mensagem ter sido enviada pelo remetente. Neste meio tempo, o sistema geraria uma nova chave de segurança e descartaria a primeira. Portanto, ao “destrancar” a mensagem e “trancá-la” novamente com outra chave, se cria a brecha ideal para expor o seu conteúdo ao aplicativo.

whatsapp

No entanto, ficar off-line não é o único fator que coloca em risco a privacidade dos usuários. As trocas das chaves de segurança também ocorrem quando o usuário troca de telefone ou reinstala o WhatsApp.

Para algumas pessoas, principalmente para os profissionais que necessitam da certeza do sigilo na troca de mensagens, é inquietante saber sobre esta possível exposição devido à falha no sistema do WhatsApp. Portanto, fica a lição: devemos sempre ter cuidado com tudo que enviamos.

Para contar com a tranquilidade em poder confiar nas informações recebidas, o BONNJUR está a sua disposição para serviços de recortes jurídicos, notificações automáticas, armazenamento ilimitado e outras vantagens. Clique aqui e saiba mais.

Com a dinamicidade da vida moderna, todos estão sempre circulando por aeroportos, lugares públicos, shoppings, e vivenciam um problema comum: a falta de bateria no celular.

Conheça os riscos de recarregar o celular em lugares públicos

Com a dinamicidade da vida moderna, todos estão sempre circulando por aeroportos, lugares públicos, shoppings, e vivenciam um problema comum: a falta de bateria no celular.

Por necessidade (ou até no desespero), é comum utilizar qualquer ponto de recarga ou entrada USB disponível para recarregar celulares e tablets, e isso expõe seus dados de uma forma bastante perigosa. Locais em que nos sentimos seguros, “protegidos” como em aeroportos, na área de embarque, ou até mesmos nas salas vips, manter o smartphone com bateria para enfrentar algumas horas de voo parece sempre uma boa ideia, e é aí que mora o perigo.

A maioria das pessoas não sabe, ou nunca parou para pensar a respeito, mas carregar o celular em pontos de recarga, ou entradas USB em lugares públicos, ou até mesmo utilizando o slot USB de um computador de um desconhecido, possibilita que hackers ou pessoas mal intencionadas extraiam dados de seus dispositivos, automaticamente, podendo roubar suas fotos pessoais, vídeos, conversas, enfim, tudo que acreditamos estar protegido nos cartões de memória de nossos gadgets, atrás de senhas numéricas ou padrões traçados, quase como labirintos, nas telas dos dispositivos.

Quando utilizamos um ponto de recarga com fios USB livremente expostos, vemos apenas uma das pontas, que pode ser conectada aos aparelhos, mas não sabemos onde a outra está ligada, se em uma simples tomada, em um computador, ou outro dispositivo com saídas USB. O Fato é que, ao se conectar com um computador via USB, por exemplo, além de dados poderem ser retirados do aparelho, outros dados podem ser inseridos nele, como vírus que podem monitorar todas as suas atividades.

Esse tipo de conexão entre dois dispositivos é denominado por especialistas como “Aperto de mão”, e de imediato permite a leitura de dados básicos de aparelhos, como o nome, modelo, número de série, e informações (mais que suficientes) para que esse aparelho possa ser identificado e/ou monitorado no futuro.

Outra ação que pode prejudicar decorrer dessa prática é a invasão por um programa maléfico, os famosos malwares, um tipo de vírus que pode danificar seu aparelho ou bloquear seus arquivos, sendo necessário pagar um “resgate” para obter o desbloqueio (como o ocorrido em 12 de maio, onde várias partes do mundo sofreram ataques de hackers, e diversas empresas tiveram seus arquivos bloqueados e só seriam liberados com uma quantia de dinheiro paga aos criminosos. Fizemos um post sobre o ataque, leia aqui ).

RISCOS DE RECARREGARR O CELULAR EM LUGARES PÚBLICOS

Para você evitar este tipo de situação de risco, seguem algumas orientações:

– Evite utilizar pontos de recarga que você não confie.

– Ative as funções de autenticação e encriptação do seu aparelho, e tenha sempre um bom antivírus instalado.

– Em uma emergência, se estiver na dúvida sobre a confiabilidade do ponto de recarga, não desbloqueie a tela do seu aparelho.

– Se possível, utilize carregadores portáteis.

Nova Ferramenta de Consulta de CPF

Agora, com a nova ferramenta de consulta de CPF disponibilizada pelo Serasa, é possível saber se um CPF possui ou não restrições, de uma forma rápida e gratuita.

Poder ter acesso a essa consulta com agilidade pode ajudar muito os profissionais na identificação de cobranças irregulares, manutenção inadequada do nome próprio ou de clientes em sistemas de proteção de crédito, entre outros casos.

A utilização do aplicativo é bem simples, e em poucos minutos você consegue todas as informações necessárias.

NOVA FERRAMENTA DE CONSULTA DE CPF

Quer fazer uma consulta agora?

Entre na página do Serasa, e digite o CPF no canto superior esquerdo e siga as instruções que aparecerão a seguir.

No primeiro acesso será necessário efetuar um cadastro, porém a partir do segundo acesso bastará digitar a senha criada anteriormente.

Já na página inicial é possível consultar a existência de restrições, tanto no serasa quanto em outros serviços de proteção ao crédito. Há também a opção de contratar o serviço Serasa AntiFraude, que monitora alterações no CPF e notifica os usuários automaticamente, sempre que o sistema identificar uma tentativa suspeita de utilização do CPF.

NOVA FERRAMENTA DE CONSULTA DE CPF

A Serasa também disponibilizou um vídeo no Youtube, onde explica passo a passo todo o processo de consulta no site.

Essa ferramenta é online e pode ser acessada através de qualquer dispositivo conectado à internet, e segundo o site oficial, já protegeu mais de 100.000 pessoas de tentativas de fraude, como a tentativa de abertura de conta corrente ou a realização de financiamentos em nome de terceiros.

Com o Serasa Consumidor, profissionais e clientes podem ganhar tempo, e obter informações com segurança. E para ganhar ainda mais agilidade no dia a dia profissional, e tranquilidade em poder confiar nas informações recebidas, você pode contar com o BONNJUR, empresa que é pioneira nos serviços de recortes jurídicos, possuindo 63 anos de história, e fazendo mineração de dados antes mesmo do computador ser inventado. Clique aqui e conheça mais sobre nossos serviços.

   

 

Recuperação Judicial

Dados do Indicador Serasa Experian de Falências e Concordatas registram 574 solicitações de Recuperação Judicial nos 5 primeiros meses de 2017. As micro e pequenas empresas lideram os requerimentos, com 347 pedidos; empresas médias foram responsáveis por 148 solicitações; e grandes empresas, por 79. No mesmo período, 324 empresas decretaram falência (em um total de 694 requerimentos).

O aumento no número de pedidos de recuperação judicial e falência nos últimos anos, reflexo do longo período de recessão econômica (desde 2008, com uma crise global, e acentuada com a atual crise econômica e política nacional), voltou as atenções para a Lei nº 11.101/2005, que regulamenta os procedimentos de Falência e Recuperação Judicial de empresas. Ainda que se tenha levado em consideração as melhores práticas internacionais sobre o tema e a realidade nacional, o período de vigência da norma revelou no dia a dia a necessidades de aperfeiçoamentos. O objetivo destas alterações seria tornar a lei mais eficaz, moderna e dinâmica. Entre as várias propostas para mudança podemos citar a criação de varas judiciais especializadas na matéria e de linhas de crédito específicas para empresas em recuperação, além de maior prazo para suspensão de ações e execuções contra o devedor e da fixação de competência territorial.

Outra mudança necessária deve ocorrer por parte das empresas, que não devem perder o “timing” da decisão ao recorrer aos benefícios que a lei garante: recorrer a Lei de Recuperação de Empresas em uma situação pré-falimentar torna a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores mais difícil de realizar.

Para advogados e escritórios que trabalham em processos de recuperação da condição econômica empresarial, o BONNJUR oferece um serviço exclusivo e especializado: nosso sistema agrupa as publicações referentes ao tema, para monitoramento facilitado de empresas e das etapas do plano de recuperação.

Entre em contato com o BONNJUR e conheça mais sobre nosso serviço de Recuperação Judicial.

recuperação judicial

Conheça nossos serviços:

   

 

Series advogados

Séries que todo advogado deveria assistir

Atua ou pretende atuar na área do direito e adora assistir séries? Aqui vai uma pequena lista das melhores séries que todas as pessoas que gostam de atuar na área devem assistir. São séries que estão centrados no mundo jurídico e na vida dos advogados.

A dica aqui é aprimorar o senso crítico, questionando a cada episódio o conceito de justiça e sua aplicabilidade no dia a dia. O que é justiça? Existe uma verdade absoluta? Até que ponto interpretações morais subjetivas podem interferir em seus casos? Se todos têm direito à ampla defesa, o que é indefensável para você? Como reagiria diante de uma situação limite?

Conheça as melhores séries que todo advogado deveria assistir!

How to Get Away With Murder

Séries que todo advogado deveria assistir

How to Get Away with Murder é um eletrizante thriller de suspense, da produtora Shonda Rhimes (de Grey’s Anatomy e Scandal), sobre um grupo de ambiciosos estudantes de Direito e sua brilhante e misteriosa professora de defesa criminal, que se vê envolvida em uma trama de assassinato que vai agitar toda a universidade e mudar o curso de suas vidas.

Como na vida dos advogados, a séria traz várias revira voltas e muitos julgamentos.

A série está disponível no Netflix, e já rendeu um Emmy para Viola Davis na categoria de melhor atriz em série dramática. A conquista fez com que Viola se tornasse a primeira mulher negra a receber a premiação.

Making a Murderer

Lançada no final de 2015 no Netflix, a série conta a história de Steven Avery. Após ter passado 18 anos preso por um crime que não cometeu, ele consegue a liberdade devido a um exame de DNA que prova sua inocência. A história vira notícia e, quando está prestes a ganhar uma gigantesca indenização pelo Estado, Avery se torna o principal suspeito do assassinato da fotógrafa e jornalista Teresa Halbach. Em dez episódios, a série acompanha a investigação, o julgamento e todas as contradições que giram em torno do caso.

Por ser um documentário, a série é extremamente interessante para analisar o funcionamento do sistema judiciário dos Estados Unidos e as contradições do caso.

Além disso, o engajamento dos telespectadores com a história foi tão grande que 300 mil pessoas enviaram um abaixo-assinado à Casa Branca pedindo o perdão de Steven Avery.

Suits

Mike Ross (Patrick J. Adams) é um garoto que abandonou a faculdade de direito, mas, brilhante como é, consegue uma entrevista com o respeitado Harvey Specter (Gabriel Macht), um dos melhores advogados de Manhattan. Quando percebe o talento nato e a memória fotográfica do garoto, Harvey o contrata. Mesmo sendo um gênio, Mike ainda tem muito a aprender sobre o Direito. E mesmo sendo um advogado tão competente, Harvey irá aprender com seu novo parceiro a ver seus clientes de outra maneira.

Juntos, eles formam uma boa dupla com a experiência de Harvey e a sagacidade de Mike, que é admitido como advogado associado do colega de trabalho. Os clientes e os rivais de carreira não podem saber, no entanto, que o jovem não se graduou. Por isso, eles mentem afirmando que Mike é formado em Harvard e tentam manter o segredo escondido a sete chaves.

The Good Wife

Alicia (Julianna Margulies) passa por uma humilhação pública quando seu marido, o procurador Peter Florrick (Chris Noth), é envolvido em um escândalo sexual e político. Após a prisão de Peter, ela precisa deixar a sua vida de dona de casa para sustentar os seus filhos, Grace (Makenzie Vega) e Zach (Graham Phillips). Alicia consegue uma vaga na firma de advocacia de Will Gardner (Josh Charles), um antigo colega da universidade, mas logo irá enfrentar a competição com jovens advogados, como o ambicioso Cary Agos (Matt Czuchry).

A série, que tem sete temporadas e foi lançada em 2009, traz um componente importante de gênero que mostra como uma mulher é vista no ambiente dos escritórios de advocacia. Tendo que lidar, muitas vezes, inclusive com situações machistas, Alicia tenta retomar a carreira e convive com dilemas da profissão e com as ambições de colegas de trabalho mais jovens.

Law and Order – Special Victims Unit (SVU)

A vida e os desafios da Equipe Especial de Elite do Departamento de Polícia de Nova York. A “Special Victims Unit” (Unidade de Vítimas Especiais) investiga os crimes de caráter sexual, seguindo os passos da detetive Olivia Benson (Mariska Hargitay). Com sabedoria, eles precisam ao mesmo tempo balancear os efeitos das investigações em suas vidas pessoais.

A série tem mais de 400 episódios e já está na 18ª temporada. É uma boa pedida para quem quer entender não só os trâmites judiciais dos crimes, mas também como são feitas as investigações casos violentos e complexos ocorridos no sistema norte-americano.

Lie to Me

A série traz as investigações de uma equipe formada por especialistas em detectar mentiras. As mínimas expressões e gestos são interpretados por esses cientistas do comportamento, que prestam seus serviços para diversas entidades, como o FBI, a polícia, empresas particulares ou mesmo pessoas que estejam dispostas a descobrir a verdade que alguém pode estar escondendo.

O grupo é liderado pelo Dr. Cal Lightman, um cientista que dedicou toda a sua vida ao estudo do comportamento humano. Lightman ainda conta com a ajuda da sua parceira e psicóloga Dra. Gillian Foster, além do pesquisador Eli Locker e de Ria Torres, uma mulher com o talento natural de interpretar as expressões humanas. Juntos eles formam uma equipe de verdadeiros polígrafos humanos.

American Crime Story

Antologia de crimes. Cada temporada conta uma história independente, baseada em algum crime real que ganhou comoção pública e foi pauta de notícias.

  • 1ª Temporada: The People v. O.J. Simpson

O julgamento de O.J. Simpson. Ex-jogador de Futebol Americano, Orenthal James foi acusado em 1994 de assassinar a esposa, Nicole Brown, e o amigo Ronald Goldman. Contado através da perspectiva dos advogados que conduziram o caso, a série fala sobre os acordos feitos de maneira informal e as manobras políticas conduzidas por ambos os lados envolvidos.

  • 2ª Temporada: Furacão Katrina

A tragédia que devastou Nova Orleans em 2005 durante a passagem do Furacão Katrina é o tema. A trama vai acompanhar um grupo de pessoas a fim de retratar todos os lados da tragédia, do descaso governamental à falta de recursos locais.

A segunda temporada de American Crime Story, só chegará à televisão norte-americana em 2018, anunciou o canal FX.

  • 3ª Temporada: Versace

Em 1997, o famoso estilista Gianni Versace foi morto na escadaria de sua mansão pelo serial killer e garoto de programa Andrew Cunanan. Além de analisar o assassinato do designer, a temporada deve perceber como o trabalho da polícia e do FBI fracassou na busca pelo criminoso e relatar o sofrimento dos familiares de suas vítimas.

E aí, qual série você vai iniciar? Tem outra que gostaria de compartilhar e deixar todo mundo curioso? Conte para nós!

Você já conhece o BONNJUR? Clique aqui e saiba tudo sobre o melhor informativo supletivo para advogados.

As sinopses mencionadas no texto foram retiradas do site www.adorocinema.com.br e www.minhaserie.com.br