Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth

Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth

Smartphones, câmeras, impressoras, sons automotivos e aparelhos de televisão são apenas alguns dos exemplos de equipamentos que podem ser conectados à um sistema para comunicação sem-fio (wireless) conhecido como Bluetooth.

No entanto, o ato (aparentemente) inofensivo de deixar o Bluetooth ligado nestes equipamentos, principalmente no seu celular, pode causar problemas graves.

O problema está em um malware (programa malicioso) conhecido por BlueBorne, que devido à sua característica de “expansão pelo ar” pode permitir que hackers invadam não apenas smartphones, mas também outros equipamentos, como aparelhos de TV ou notebooks.

Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth.

Este problema foi detectado e apontado por pesquisadores da empresa de segurança Armis. Segundo o levantamento, a estimativa é de que esta falha poderia afetar mais de 5,3 bilhões de dispositivos no mundo. A empresa também complementa que além do BlueBorne, existem mais riscos. Abaixo, listamos outras três eventuais ameaças:

– Bluebugging: É considerado um dos mais graves. Este tipo de ataque aproveita os “bugs” na identificação do dispositivo para conseguir controlá-lo. O risco que se corre, vai desde o roubo de dados à propagação de vírus. Infelizmente, o BlueBorne não solicita nenhuma operação do dono do aparelho para agir, como por exemplo clicar em algum link.

– Bluejacking: Não é tão nocivo quanto ataques por meio de malwares. Neste caso, hackers acessam agendas, mensagens e dados, mas principalmente utilizam um protocolo do sistema para enviar mensagens à vítima por intermédio de um contato, uma nota ou um cartão eletrônico (VCard).

– Bluesnarfing: Está relacionado com o roubo de informações e é mais perigoso que o Bluejacking. No entanto, neste caso é mais difícil o invasor ter sucesso, pois o hacker precisaria estar a menos de 10 metros do equipamento hackeado.

Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth
Os riscos de manter seus aparelhos conectados ao Bluetooth

Para se proteger contra estas invasões, existem algumas recomendações que são eficientes. A primeira delas é ter a consciência de que o mais seguro é manter o Bluetooth desligado quando ele não estiver sendo utilizado. Você também pode configurar o seu aparelho para o “modo oculto”, deixando-o invisível a hackers assim como dar preferências a equipamentos mais modernos que solicitam um código de confirmação quando alguém tenta se conectar ao seu dispositivo. Além disso, empresas como Google, Microsoft e Linux oferecem aos seus clientes programas que realizam correções em dispositivos com falhas, conhecidos como “patches”.

Para estar sempre antenado às novidades e dicas, entre em contato com o BONNJUR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *